Bolsonaro demitiu Marcos Cintra não só pela CPMF; veja a verdade

Compartilhe agora!

Jair Bolsonaro no Hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo depois de cirurgia.Twitter –
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou atrás, no início da noite desta quarta (11), da recriação da CPMF (Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira). Isto é o que a velha mídia divulga.

Do hospital, onde está internado desde domingo (8), Bolsonaro demitiu hoje à tarde o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra.

O pretexto foi a tentativa de recriar a CPMF, mas a bronca do presidente com o secretário da Receita vem desde o vazamento de sigilos fiscais de seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), no insolúvel Caso Queiroz.

Ou seja, a queda de Cintra tem mais a ver com a pauta policial do que econômica. Ele, como bom oportunista, aproveitou o vacilo para defenestrar o ex-secretário da Receita.

Pelo Twitter, Bolsonaro deu sua versão para a crise que derrubou Cintra.

“A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente”, diz a conta oficial do presidente da República.

LEIA TAMBÉM
Deu chabu na reforma da previdência no Senado

Intercept desvenda esquema de grampos na Lava Jato

Dilma: “Vazamentos seletivos não me intimidarão”

O diabo é que o ministro Paulo Guedes, em diversas oportunidades, também falou sobre a recriação da CPMF. Porém, o ‘véio bonito e gostosão‘ não foi demitido hoje.

Moral da história: aos poucos, o presidente Jair Bolsonaro vai limpando a Polícia Federal, a Receita Federal, o Coaf e higienizando a própria Lava Jato. Tudo para proteger a família dele.

Entretanto, tem quem acredite que Bolsonaro demitiu o secretário porque este quis recriar a CPMF.

Compartilhe agora!