Tiroteio com 20 mortes no Texas reacende discussão do porte de arma no Brasil

Compartilhe agora!

Um cidadão entrou no supermercado de um shopping e abriu fogo. Até agora, 20 pessoas foram mortas. Essa tragédia ocorreu neste sábado (3) em El Paso, Texas, nos Estados Unidos. Os decretos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) flexibilizando armas de fogo podem proporcionar cena idêntica a qualquer momento em um dos 5.570 municípios brasileiros.

O tiroteio no shopping norte-americano reacende a discussão do porte de arma no Brasil. Desde que tomou posse, Bolsonaro editou 7 decretos que possibilitando a posse e o porte de arma de fogo, a despeito da quantidade de mortes por disparo. Em 2017, por exemplo, 47 mil pessoas perderam a vida com tiros no País das chuteiras.

Voltemos a El Paso, nos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM
Inquérito da fake news no STF pega a velha mídia e bolsominions

Presidente de Cuba chama Bolsonaro de mentiroso e submisso

Juízes entregarão carta a Lula em que o qualificam como “preso político”

Segundo as agências de notícias, 30 pessoas foram atendidas em hospitais locais e as vítimas têm idades entre 2 e 82 anos.

Ainda são bastante contraditórias as informações sobre a autoria dos disparos. A polícia ora diz que um suspeito foi preso, ora registra que são três sob custódia. Mas ainda não é possível assegurar com precisão a autoria e a motivação do crime.

O massacre do shopping no Texas é mais um alerta para a imbecilidade da liberação da arma de fogo no Brasil.

Que Bolsonaro não venha com a balela de que ‘se alguém tivesse armado…’ haja vista que nos EUA praticamente todos possuem uma arma de fogo. Por isso lá já se discute a restrição do porte da arma.

Compartilhe agora!