Silvio Santos lavou milhões de reais, diz delator da Lava Jato

Compartilhe agora!

Silvio Santos e o então presidente eleito Jair Bolsonaro, em dezembro de 2018.
A Folha e o Intercept revelam nesta quarta (29) que o Grupo Silvio Santos foi delatado pelo doleiro Adir Assad, na Lava Jato, de lavar milhões de reais por meio de contratos fraudados de patrocínio esportivo.

Segundo a reportagem da Vaza Jato, o esquema do dono do SBT com o operador financeiro se dava através da Liderança Capitalização –empresa responsável pela Tele Sena.

Os depoimentos de Assad foram compartilhados pelos integrantes da força-tarefa no aplicativo de mensagens Telegram, cujos arquivos foram analisados pelo Intercept e Folha.

LEIA TAMBÉM
Glenn Greenwald, na TVT: “Parceria da imprensa comercial com a Lava Jato é ideológica e comercial”

Fachin expõe as vísceras da Lava Jato no plenário do Supremo

Congresso derruba veto de Bolsonaro sobre fake news eleitoral

“Assad contou que o SBT tinha necessidade à época de fazer um caixa paralelo, mas não sabe dizer com qual finalidade —se para remunerar bônus a executivos ou se para pagar propina no setor público”, anota a Folha.

Embora tenha utilizado as fórmulas Indy, Indy Lights e Truck para lavar dinheiro, Silvio Santos foi poupado pela Lava Jato (assim como bancos, FHC, Alvaro Dias, Onyx Lorenzoni, Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, etc.).

A delação que cita o “Homem do Baú” foi enviada para o Ministério Público Federal de São Paulo e o caso continua sob sigilo até hoje, segundo a reportagem.

Compartilhe agora!