Respirando por aparelhos, Lava Jato prende genro de Odebrecht

Publicado em 21 agosto, 2019

Após os escândalos da Vaza Jato, a força-tarefa de Deltan Dallagnol respira por aparelhos. Mas, mesmo assim, a Lava Jato desencadeou hoje (21) a 63ª fase prendendo Maurício Ferro, genro de Emílio Odebrecht.

Segundo a moribunda Lava Jato, a operação cumpriu dois mandados de prisão em São Paulo em decorrência da delação do ex-ministro Antonio Palocci.

Além de Ferro, a Polícia Federal prendeu esta manhã o advogado Nilton Serson.

Os procuradores também miram no ex-ministro da Fazenda no governo Lula, Guido Mantega, embora não haja nenhum mandado contra ele.

LEIA TAMBÉM
Doria desafia Bolsonaro: jamais nomearia meu filho embaixador

Maia chora quando ferra os trabalhadores e chora quando é acariciado por Frota; eita presidente chorão!

Bolsonaro decide barrar entrada de autoridades venezuelanas no Brasil

O herdeiro da empreiteira Marcelo Odebrecht havia dado com a língua nos dentes e jurado que “Italiano” se referia a Palocci e “Pós-Itália” era Guido Mantega.

Ou seja, a Lava Jato requentou o assunto da suposta propina para os ex-ministro com clara finalidade de atingir o PT e deixar as cortas.

A resposta à pirotecnia da Globo/Lava Jato deverá chegar amanhã pelo site Intercept, em parceira com algum os vários veículos que compõe o consórcio para divulgar as conversas privadas de procuradores da força-tarefa e o ex-juiz Sérgio Moro.