Requião prevê delação premiada para Dallagnol após afastamento da Lava Jato

Compartilhe agora!

O presidente de honra da Frente Parlamentar em Defesa da Soberania, Roberto Requião, desde a Argentina, previu nesta sexta-feira (2) que o procurador Deltan Dallagnol vai aderir à delação premiada após ser afastado da coordenação da força-tarefa Lava Jato.

Mais cedo, o Blog do Esmael que são três passos que aguardam o moço das mensagens vazadas do Telegram: 1- o afastamento da força-tarefa; 2- a exoneração do cargo de procurador; e 3- a prisão.

Para Requião, Deltan seguirá o mesmo destino de Girolamo Savonarola que acabou queimado na fogueira ao tentar interferir na eleição da hierarquia superior da igreja Católica.

LEIA TAMBÉM
Reforma da previdência terá votação de segundo turno na terça-feira

Caso Santa Cruz: Comissão Arns quer informações de Bolsonaro

Globo enfrenta furdunço de jornalistas devido apoio a Sérgio Moro

“Enquanto se divertia queimando cristãos, Savanarola ia bem. Até que resolveu interferir na eleição da hierarquia superior, quando então foi queimado na frente do Pallazo Vecchio. Deltan?”, comparou o presidente da Frente pela Soberania.

Requião vê uma saída para o ainda procurador e coordenador da Lava Jato, em Curitiba. Segundo ele, Deltan tem como recurso supremo uma famigerada delação premiada.

Compartilhe agora!