Protesto em defesa da Floresta Amazônica reúne mais que manifestação pró-Sérgio Moro

Foto: Mídia Ninja.
As imagens não deixam dúvida. O protesto realizado na tarde deste domingo (25), no Rio, para pedir o combate ao desmatamento e às queimadas na Floresta Amazônica, reuniu mais gente que a manifestação pró-Sérgio Moro e a Lava Jato.

O ato em defesa da Floresta Amazônica contou com a presença de organizações não-governamentais, ativistas, políticos e artistas como os cantores Caetano Veloso, Criolo e Tereza Cristina. O protesto ocorreu na Praia de Ipanema.

Já o ‘Dia do Moro’ foi marcado pelo “retumbante fracasso“, para usar a definição da deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR). Segundo informações de diversas praças, as manifestações da extrema-direita eram para apoiar Moro e Deltan Dallagnol, bem como contra o STF, Lula, Congresso Nacional e a Vaza Jato.

LEIA TAMBÉM
Jornal Le Parisien acusa Bolsonaro de sexismo contra mulher do presidente da França

Bolsonaro pede investigação de fazendeiros por ‘dia do fogo’ na Floresta Amazônica

Deltan ataca os três poderes da República

A força-tarefa tenta sair das cordas desde 9 de junho, quando começaram as reportagens lideradas pelo Intercept sobre as conversas nada republicanas do ex-juiz e de integrantes da Lava Jato.

Voltemos ao protesto do Rio, promovido pelos defensores da Floresta Amazônica.

Os incêndios na Amazônia chamaram a atenção da comunidade internacional nesta semana e foram discutidos na Cúpula do G7, que reuniu os chefes de Estado de Estados Unidos, Alemanha, Japão, França, Reino Unido, Itália e Canadá. Anfitrião do encontro, o francês Emmanuel Macron, declarou neste domingo que é necessário ajudar os países da Amazônia a combater os incêndios o mais rápido possível.

Assista ao vídeo: