Nota do PT: Transferência de Lula é novo ato de perseguição

Compartilhe agora


O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nota no final da manhã desta quarta-feira (7) denunciando a transferência do ex-presidente como um novo ato de perseguição e lawfare. “Lula sequer deveria estar preso em lugar nenhum porque é inocente e foi condenado numa farsa judicial”, diz a nota subscrita pela presidente do partido Gleisi Hoffmann e dos líderes das bancadas do partido na Câmara de Deputados e Senado, Paulo Pimenta e Humberto Costa.

Confira a íntegra da nota do Partido dos Trabalhadores:

1) A decisão de transferir o presidente Lula de Curitiba para São Paulo é de exclusiva responsabilidade da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, que solicitou a medida, e da juíza de Execuções Penais Carolina Lebbos, que deferiu o pedido sem considerar os argumentos da defesa do ex-presidente.

2) Lula não deveria estar preso em lugar nenhum porque é inocente e foi condenado numa farsa judicial. Não deveria sequer ter sido julgado em Curitiba, pois o próprio ex-juiz Sergio Moro admitiu que seu processo não envolvia desvios da Petrobrás investigados na Lava Jato.

Urgente: Defesa pede suspensão da transferência de Lula

Expectativa na ‘Vigília’ em Curitiba com a transferência de Lula

3) A decisão da juíza Carolina Lebbos caracteriza mais uma ilegalidade e um gesto de perseguição a Lula, ao negar-lhe arbitrariamente as prerrogativas de ex-presidente da República e ex-Comandante Supremo das Forças Armadas.

4) O Partido dos Trabalhadores exige que os direitos de Lula e sua segurança pessoal sejam garantidos pelo estado brasileiro, até que os tribunais reconheçam a sua inocência, a parcialidade da sentença de Moro e a ilegalidade da prisão, onde quer que seja cumprida.

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT
Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados
Humberto Costa, líder do PT no Senado Federal

Brasília, 7 de agosto de 2019