Bolsonaro-Ditadura

MPF barra nome indicado por Bolsonaro para comissão de desaparecidos

Compartilhe agora!

Bolsonaro-DitaduraO Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF) rejeitou, em sessão realizada nesta terça-feira (6), o nome do procurador Ailton Benedito para integrar a Comissão Sobre Mortos e Desaparecidos Políticos na ditadura .

Notório por suas posições de extrema-direita, ele havia sido indicado pelo presidente Jair Bolsonaro numa tentativa de mudar a cara do órgão, considerado pelo governo de viés contrário ao período da ditadura militar.

Ele ocuparia o lugar do procurador Ivan Marx, mas o seu nome foi rejeitado por 6 votos a 4, inclusive com o voto contrário da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que havia defendido anteriormente a sua indicação.
Bolsonaro é denunciado na PGR por mudança na Comissão de Mortos e Desaparecidos
Ativo nas redes sociais, Benedito ficou conhecido por atacar o PT, os perseguidos pela ditadura, as políticas de direitos humanos e de gênero e por dizer que o nazismo que era um movimento ideológico de esquerda, tese que é rechaçada até pelo Museu do Holocausto, em Israel.
Famílias de vítimas da ditadura recorrem à OEA contra Bolsonaro
Logo após sua indicação ter recebido críticas de lideranças políticas, como a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), militantes e entidades de direitos humanos, Benedito postou no Twitter: “Só a militância político-midiática esquerdista e a, agora, ex-presidente fingem se surpreender com as mudanças na Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos. A bem da verdade, o governo demorou muito para executar tais mudanças absolutamente previsíveis”, escreveu.
Compartilhe agora!