Marcas boicotam couro do Brasil em protesto às queimadas na Amazônia

Compartilhe agora

Marcas como Timberland e Kipling anunciaram boicote ao couro produzido no Brasil. Fabricantes alegam a alta das queimadas na Amazônia como motivo.

A informação foi passada nesta terça-feira (27) pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) em carta enviada ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

“Recentemente, recebemos com muita preocupação o comunicado de suspensão de compras de couros a partir do Brasil de alguns dos principais importadores mundiais. Este cancelamento foi justificado em função de notícias relacionando queimadas na região amazônica ao agronegócio do País. Para uma nação que exporta mais de 80% de sua produção de couros, chegando a gerar US$ 2 bilhões em vendas ao mercado externo em um único ano, trata-se de uma informação devastadora”, escreveu José Fernando Bello, presidente executivo do CICB.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro agora dispara flechas contra os índios da Amazônia

65,3% dos nordestinos rejeitam o governo Bolsonaro, diz pesquisa

Na carta, foram citadas as marcas Timberland, Dickies, Kipling, Vans, Kodiak, Terra, Walls, Workrite, Eagle Creek, Eastpack, JanSport, The North Face, Napapijri, Bulwark, Altra, Icebreaker, Smartwoll e Horace Small.

Com informações do Estadão.