Por Esmael Morais

Maia e Bolsonaro querem apressar votação do fim da Previdência

Publicado em 05/08/2019

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ),  e a bancada governista de Bolsonaro querem votar o fim da Previdência dos trabalhadores a toque de caixa. Maia marcou oito sessões do plenário para  terça-feira (6) e até quinta-feira (8) para debater e votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, que trata da reforma, cortando benefícios dos trabalhadores que ganham menos.

O objetivo de Maia e dos governistas é de impedir e conter a pressão popular sobre os parlamentares na votação em segundo turno da reforma da Previdência.

Haddad articula frente para 2022: “Esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro”

UNE e 186 entidades assinam manifesto contra o programa “Future-se”

A votação de segundo turno deve ocorrer na próxima quinta-feira (8), dia em que a atenção da mobilização dos trabalhadores deverá estar voltada para o Congresso. Todos esses atos e iniciativas devem apontar para uma grande mobilização no dia 13 de agosto, pela educação e contra o projeto que acaba com a Previdência.

“É importante que todos estejam nas ruas nesse dia. Esse ato precisa repetir o sucesso que tivemos nas manifestações dos dias 15 e 30 de maio”, afirmou a presidente do PT e deputada federal Gleisi Hoffmann, lembrando a mobilização dos estudantes. “Vamos mostrar que não estamos coniventes, contentes, e queremos mudanças no tratamento das políticas públicas nacionais.”