Lava Jato: “Organização criminosa para investigar pessoas”, diz ministro

Compartilhe agora!

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), em entrevista ao jornal Correio Braziliense neste domingo (4), declarou que a Operação Lava Jato “é uma organização criminosa para investigar pessoas”. O ministro foi citado em uma das conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil entre o procurador Deltan Dallagnol com outros integrantes da Lava Jato.

O ministro diz que as condutas de integrantes da Lava Jato demonstram a existência de uma “Orcrim”. “Há uma organização criminosa para investigar pessoas”.  Gilmar Mendes disse ainda que faltou uma atuação dos órgãos de controle do sistema de Justiça.  “O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) não funcionou bem, o CJF (Conselho de Justiça Federal) não funcionou bem, o CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) não funcionou bem. Faltou chefia, supervisão”, enfatiza o ministro.

Gilmar acrescenta ainda “que faltou supervisão, houve um autonomismo, um independetismo, e produziu-se isso que aí está. E isso é só o que a gente sabe; não sabemos de tudo. Não se falou nada sobre delações”.

Confira a íntegra da entrevista ao jornal Correio Braziliense.

Compartilhe agora!