Dallagnol diz que diálogos vazados são normais e não vê crueldade ou ilegalidades

Compartilhe agora!

O procurador Deltan Dallagnol da força-tarefa Lava Jato se eximiu de qualquer culpa e disse que não há nada de errado no teor dos diálogos dele com outros procuradores e o ex-juiz Sérgio Moro publicados pelo Site Intercept Brasil, e em parceria com outros órgãos de imprensa.

Ele concedeu uma longa entrevista à BBC Brasil e o assunto principal foram, logicamente, os diálogos da Vaza Jato. Dallagonol se coloca como vítima de “maldade” e “veneno”.

Deltan relativizou a insensibilidade e a frieza de procuradores da força-tarefa nos diálogos em que eles comentam as mortes na família do ex-presidente Lula.

Mensagem mostram o ódio e o desrespeito da lava jato por Lula e família

“As pessoas têm que entender que essas conversas são conversas que você teria na mesa de casa com a família, são pessoas que estão trabalhando há cinco anos juntas, são amigas. São conversas que você tem com o círculo de intimidade, conversas que você fica à vontade para falar até alguma besteira, uma bobagem, para ser até certo modo irresponsável”, disse o procurador.

LEIA TAMBÉM
Advogados abandonam a defesa de Deltan Dallagnol

Dallagnol queria ser eternizado em monumento à lava jato

Vaza Jato mostra com novos diálogos a podridão da velha mídia

Ex-procurador reconhece que Lava Jato estava com Bolsonaro na eleição

Ao tentar justificar o teor das mensagens, Dallagnol acaba atestando novamente a sua autenticidade. E Deus nos livre de tratar a tragédia familiar alheia com o nível de sarcasmo dos procuradores.

Com informações da BBC  Brasil.

Compartilhe agora!