Bolsonaro pede investigação de fazendeiros por ‘dia do fogo’ na Floresta Amazônica

Publicado em 25 agosto, 2019
Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fica mais perdido que palhaço no dia de finados quando o assunto é incêndio na Floresta Amazônica. Agora ele pediu que a Polícia Federal investigue fazendeiros que criaram o ‘dia do fogo’ na região do Pará.

A revista Globo Rural, ligada à TV Globo, levou publicou neste domingo (25) reportagem sobre fazendeiros paraenses que instituíram o dia 10 de agosto como sendo o ‘dia do fogo’ contra a floresta que corta aquele estado do Norte.

“Sim, fui contatado hoje mesmo pelo presidente Jair Bolsonaro sobre o fato e solicitando apuração rigorosa. A Polícia Federal vai, com sua expertise, apurar o fato. Incêndios criminosos na Amazônia serão severamente punidos”, confirmou o ministro da Justiça Sérgio Moro.

LEIA TAMBÉM
Intercept vaza lista de ‘intocáveis’ na Lava Jato: bancos, FHC, Guedes, Alvaro e Onyx

Deltan ataca os três poderes da República

Queimadas: PSL, partido de Bolsonaro, quer criar CPI das ONGs

De acordo com a reportagem do Globo Rural, até carros do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) foram usados para atear fogo na mata. O órgão é vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, pasta ocupada pelo ministro Ricardo Salles.

O texto da publicação denuncia que “sindicalistas, produtores rurais, comerciantes e grileiros, combinaram através de um grupo de WhatsApp incendiar as margens da BR163, rodovia que liga essa região do Pará aos portos fluviais do Rio Tapajós e ao Estado de Mato Grosso”.

Pelo Twitter, não há nenhuma manifestação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) –embora seus ministros (da Justiça e do Meio Ambiente) jurem estar falando por ele.

Bolsonaro fica perdido neste tema porque seu discurso sobre a preservação ambiental sempre legitimou a ação de fazendeiros e garimpeiros na região Amazônica, qual seja, contra os indígenas e povos da floresta.

Compartilhe agora!