Bolsonaro e Globo travam ‘guerra de bugios’; #GloboLixoTraidoradaPatria bomba no Twitter

Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e a Rede Globo travam uma verdadeira ‘guerra de bugios’ acerca do poder e do dinheiro [público, é claro].

Antes, é importante contextualizar o leitor. Os bugios usam como arma suas próprias fezes. Na língua bolsominion, o próprio cocô é arma de luta contra os inimigos.

Dito isto, voltemos à peleja Globo versus Bolsonaro.

O presidente cortou a obrigatoriedade da publicação de balanços empresarias em jornais de grande circulação. Isso tirou recursos da velha mídia.

LEIA TAMBÉM
Juristas denunciarão Bolsonaro em Haia por ecocídio

Deputado petista diz que diálogos dos procuradores da Lava Jato são “monstruosos”

Dilma diz que procuradores da Lava Jato agiram com ódio e preconceito contra Lula

No contra-ataque, os jornalões começam a divulgar as bizarrices de Bolsonaro –coisas que os veículos comunicação haviam deixado de mostrar de olho nas verbas publicitárias do governo federal.

A omissão da mídia também tinha objetivos políticos e ideológicos, isto é, barrar a volta do PT ao Palácio do Planalto.

Na réplica, Bolsonaro divulgou que os jornalistas da Globo complementam os seus salários dando palestras no Senac Rio, um escândalo, segundo o presidente, haja vista se tratar de recurso público.

Não contente, Bolsonaro pediu a internautas/bolsominions que disseminassem um vídeo da TV Record detonando a Globo.

Agora à noite, para fechar o dia, a milícia virtual do presidente da República subiu a hashtag #GloboLixoTraidoradaPatria.

No meio dessa treta ainda tem a crise causada pela queimada da Floresta Amazônica, que é amplificada com a inépcia diplomática de Bolsonaro.

Do ponto de vista de traição da pátria, Globo e Bolsonaro estão empatados. Ambos são contra os trabalhadores e a maioria da população, razão de existir de uma nação. Eles disputam para ver quem é mais vendilhão e antipovo. Estão aí para provar a reforma da previdência e as criminosas privatizações de empresas públicas.

Compartilhe agora!