Bolsonaro ameaça nomear Eduardo ministro caso ele seja barrado para embaixada

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender neste domingo (4) a indicação do filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM:
Milton Alves: Os desafios do PT e a resistência ao autoritarismo do governo Bolsonaro

Haddad articula frente para 2022: “Esse país não aguenta oito anos de Bolsonaro”

Bolsonaro volta a atacar o PT e anistiados políticos da ditadura

Ao defender a indicação de Eduardo, o presidente afirmou que o filho foi elogiado pelo presidente norte-americano, Donald Trump, mesmo tendo sido “massacrado” pela imprensa brasileira.

“Eu tenho um filho que está para ir para os Estados Unidos e foi elogiado pelo [Donald] Trump. Vocês massacraram o meu filho. A imprensa massacrou. […] A relação do Eduardo, caso aprovado pelo Senado, vai ser, no meu entender, muito boa com o Trump, o embaixador é um cartão de visitas”, disse Bolsonaro a jornalistas na porta do Palácio da Alvorada, em Brasília.

Questionado sobre a possibilidade do Senado barrar a indicação de Eduardo, o presidente disse que se isso acontecer, pode nomeá-lo como ministro das Relações Exteriores.

“O Senado pode barrar o meu filho sim. Agora imagina se no dia seguinte eu demita o Ernesto Araújo e coloque o meu filho no Ministério das Relações Exteriores. Ele não vai ser o embaixador, ele vai comandar, entre embaixadores e agregados, 200 mundo afora. E daí? Alguém vai tirar o meu filho de lá? Hipocrisia. Hipocrisia de vocês”, afirmou.

Para Bolsonaro, a indicação do filho não é nepotismo, porque, em sua avaliação, ele “tem competência” para exercer a função de embaixador.

Com informações do G1.