Amazônia: Bolsonaro diz que só aceita ajuda do G7 se Macron “retirar insultos” contra ele

Publicado em 27 agosto, 2019
Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse na manhã desta terça-feira (27) que o presidente da França, Emmanuel Macron, terá de “retirar insultos” contra ele e contra o Brasil antes de considerar aceitar a ajuda de U$$ 20 milhões (cerca de R$ 83 milhões) dos países do G7 para combater incêndios na Amazônia.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro se reunirá hoje com os governadores da Amazônia

Entreguista, Bolsonaro faz ‘beicinho’ para Macron e comporta-se como ‘bichon frisé’ de Trump

Ibama pediu apoio da Força Nacional para evitar “dia do fogo” mas Moro negou

“Primeiramente, o senhor Macron deve retirar os insultos que fez à minha pessoa. Primeiro, me chamou de mentiroso. E depois, informações que eu tive, de que a nossa soberania está em aberto na Amazônia”, declarou Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada.

“Para conversar ou aceitar qualquer coisa da França, que seja das melhores intenções possíveis, ele vai ter que retirar essas palavras e daí a gente pode conversar”, acrescentou.

Na noite de ontem (26), o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) havia anunciado que o governo brasileiro rejeitaria a oferta do G7.

“Agradecemos, mas talvez esses recursos sejam mais relevantes para reflorestar a Europa”, disse o ministro.

Com informações do G1.

Compartilhe agora!