Bolsonaro não seria reeleito se a eleição fosse hoje, diz Datafolha

Compartilhe agora!

O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, afirmou ao jornal britânico The Guardian que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não seria reeleito se a eleição fosse hoje.

Segundo o CEO do instituto, “é o pior começo de uma presidência desde o retorno da democracia [em 1990]”, referindo-se ao fim da ditadura e a primeira eleição presidencial cujo eleito foi Collor de Mello em 1989.

LEIA TAMBÉM
Datafolha já tira o sono de Bolsonaro

De acordo com a reportagem do The Guadian, os seis primeiros meses tem revelado o governo Bolsonaro como uma “péssima viagem” que até deixam a direita desalentada. O jornal britânico anota que esse período é marcado por protestos, escândalos, alegações de corrupção, alegações de ligações com a máfia.

The Guardian também entrevista o roqueiro Lobão, símbolo dos bolsonaristas arrependidos. “Eu absolutamente não posso ficar ombro a ombro com um bando de fanáticos, vilões, mergulhões”, declarou.

Em maio passado, o intérprete de “Vida Bandida” afirmou que Bolsonaro não tem a menor capacidade intelectual e emocional para poder gerir o Brasil. “Isso é muito claro para mim e fico muito triste. É óbvio que o governo vai ruir”, disse, ao anunciar o rompimento com os bolsominions.

“É o pior começo de uma presidência em décadas”, reafirma o pesquisador do Datafolha, Mauro Paulino.

Resumo da ópera: Bolsonaro perderia até do Conge em 2022.

Compartilhe agora!