Protesto no Marajó expõe varal de calcinhas para ministra Damares

Publicado em 29 julho, 2019
Compartilhe agora!

Em resposta a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, as mulheres da Ilha do Marajó, no Pará, estão expondo varais de calcinhas nos seus quintais e varandas, uma forma sutil de protesto para rebater as declarações estúpidas e preconceituosas da ministra. Damares afirmou que “os abusos sofridos por meninas da região paraense da Ilha de Marajó ocorrem devido à falta do uso de calcinhas”.

A infeliz e preconceituosa declaração foi feita enquanto Damares participava de um evento no Palácio do Planalto para mostrar os resultados do programa “Abrace o Marajó” na quarta-feira (24) da semana passada.

Marielle Franco será homenageada com nome de rua no Rio

“Teve uns especialistas que chegara a falar aqui para nós no gabinete que as meninas lá são exploradas porque elas não têm calcinha. Não têm calcinha, não usam calcinha, são muito pobres. E disseram: ‘porque o ministério não faz uma campanha para levar calcinhas para lá?’. Conseguimos um monte. Mas e por que levar calcinha? Essa calcinha ela vai acabar. Nós temos é que levar uma fábrica de calcinhas para a Ilha do Marajó. Gerar emprego lá”, disse Damares durante o evento.

Sem o conhecer os hábitos e a rica cultura do Marajó, Damares ainda vai ter surpresas com as mulheres e a população da região marajoara.

Compartilhe agora!