Previdência: Oposição resiste e base governista tenta atropelar debate

Publicado em 9 julho, 2019
Compartilhe agora!


O primeiro dia de debates na Câmara dos Deputados enfrenta as tentativas da base governista de atropelar e aprovar às pressas no plenário a PEC (06/19), que trata da reforma da Previdência. Até o final da noite de terça-feira (9), os governistas não conseguiram iniciar a votação da matéria e tudo indica que os trabalhos avancem pela madrugada.

Para a líder da Minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) o governo ainda não tem nenhuma segurança dos seus votos e salientou ser fundamental a resistência e obstrução nesse momento. “É a proposta mais cruel que já chegou nesse congresso. Precisamos impedir que essa reforma seja aprovada aqui, isso é muito ruim para a grande massa de trabalhadores desse país. A Reforma da Previdência hoje é apenas para dar sinalização para o capital financeiro, ao mercado, porque não resolve nenhum problema de emprego”.

Reforma da Previdência: PT denuncia Bolsonaro ao STF por compra de votos

O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) criticou as negociações feitas pelo governo nos bastidores. “As tenebrosas transações da vida de gado. Estamos há duas horas debatendo vaquejada na Câmara enquanto o governo libera emendas parlamentares para tentar arregimentar o gado para aprovar a reforma da Previdência”, disse.

Para o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da Oposição na Casa, a maior prova de que o governo não tem os votos necessários para aprovar a reforma é a votação do projeto de lei sobre vaquejadas. “O governo está usando esse tempo para liberar emendas e tentar garantir os votos que faltam”, afirmou.

“O governo não tem votos suficientes para aprovar a proposta que acaba com o direito à aposentadoria da maioria absoluta do povo brasileiro. Por isso estão comprando votos através de emendas parlamentares”, protestou o líder do PT, Paulo Pimenta (RS).

*Com informações da Liderança do PCdoB

Compartilhe agora!