Polícia Federal prende supostos hackers que supostamente invadiram o celular de Moro

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (23) quatro supostos hackers que teriam invadido o celular do ministro Sérgio Moro.

A PF cumpriu sete mandados de busca e apreensão e 4 de prisão temporária pelo suposto crime de invasão de celulares.

LEIA TAMBÉM
Barroso confirma jantar com Moro e Dallagnol e diálogos da Vaza Jato

Mais bomba do Intercept

Ataques hacker são “crônica da farsa anunciada”, diz deputado

A autorização para a Operação Spoofing da PF foi concedida pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, conhecidíssimo pela militância política.

A referida operação já nasceu viciada e sob o signo da desconfiança, pois o chefe da PF [Moro] é alvo de vazamentos cabeludos cujos arquivos foram obtidos pelo Intercept de maneira anônima. A Constituição Federal protege o sigilo da fonte jornalística.

O editor do site Intercept Brasil, Leandro Demori, comentou o ação policial e mandou um recado para Moro:

“Só pra lembrar: nem tentem descredibilizar o arquivo. Não lutem contra os fatos, todos empilhados aqui”, tutiou o jornalista.

Embora a operação foque supostos hackers, o ministro Sérgio Moro não desmentiu a veracidade das informações vazadas nas reportagens do Intercept e demais órgãos de imprensa livre.