Glenn Greenwald refuta ameaça e diz que Bolsonaro não pode prendê-lo

Compartilhe agora


Em solenidade neste sábado (27) no Rio de Janeiro, Bolsonaro ameaçou Glenn Greenwald com prisão ao ser questionado sobre a portaria 666/2019 de Sergio Moro que abre uma possibilidade de repatriação e a deportação sumária do jornalista. “Talvez pegue uma cana aqui no Brasil”, disse o presidente.

“Ao contrário dos desejos de Bolsonaro, ele não é (ainda) um ditador. Ele não tem o poder de ordenar pessoas presas. Ainda existem tribunais em funcionamento. Para prender alguém, tem que apresentar provas para um tribunal que eles cometeram um crime. Essa evidência não existe”, respondeu Glenn Greenwald no Twitter.

Bolsonaro negou que a portaria tenha sido endereçada ao jornalista que ele chamou de malandro por casar com o deputado David Miranda (PSOL-RJ) e adotar filhos no país.

Glenn considerou as declarações absurdas lembrando que é casado com Miranda há 15 anos. Ele também advertiu que vivemos numa democracia e não numa ditadura como quer Bolsonaro.

“É verdade que o governo não tem o poder de me deportar. Mas eu tenho o poder de sair do Brasil voluntariamente – e tinha esse poder o tempo todo. Mas não fiz e não vou, apesar dessas ameaças. Por quê? Porque sei que não têm nada contra mim. Vou defender a democracia do país dos meus filhos”, escreveu o jornalista no Twitter.