Copa América: Brasil x Peru proíbe trabalhadores para evitar protestos contra Bolsonaro e Moro

Compartilhe agora

Jair Bolsonaro durante partida de futebol Brasil e Argentina. Foto: Carolina Antunes/PR
A final da Copa América Brasil x Peru, neste domingo (7), terá preços proibitivos para um trabalhador assalariado. O ingresso no Maracanã, no Rio, custa de 400 a 900 reais, mas no câmbio negro ultrapassa 2 mil reais.

Dito isso, a proibição do andar de baixo de entrar no campo de futebol é explicado pelo mundo da bola da seguinte forma: evitar protestos e vaias contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seu enrolado ministro da Justiça, o ex-juiz Sérgio Moro.

LEIA TAMBÉM
ONU e OEA condenam as ameaças e ataques contra Glenn Greenwald

Ou seja, o mundo da [péssima] política invadiu o mundo do futebol-arte, da participação popular, do torcedor que xinga o juiz de “ladrão”.

O veto do povo no Maraca não foi por meio de decreto ou lei. Pelo contrário. Se deu pelo bolso, aumentando o preço dos ingressos, escolhendo como público somente os mais ricos –supostamente mais favoráveis a Moro e Bolsonaro.

No jogo Brasil x Argentina, na terça-feira (2), Bolsonaro foi vaiado no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. O presidente deu volta olímpica e se encontrou com o atacante cai-cai Neymar.
A seleção brasileira entrará pegará o Peru às 17 horas.