Comissão do governo desmente Bolsonaro sobre morte de Fernando Santa Cruz

Compartilhe agora

A Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos, ligada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, emitiu semana passada uma certidão de óbito para Fernando Souza Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

No documento, a pasta comandada da ministra Damares Alves informa que a morte do militante foi “não natural, violenta, causada pelo Estado brasileiro”.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro fala de desaparecimento do pai do presidente da OAB no corte de cabelo; assista

Presidente da OAB recebe manifestações de desagravo após agressão de Bolsonaro; confira

Paulo Pimenta fala em impedimento de Bolsonaro: “Criminoso que idolatra genocidas”

A data da morte informada é dia 23 de fevereiro de 1974, no Rio de Janeiro (RJ), “no contexto da perseguição sistemática e generalizada à população identificada como opositora política ao regime ditatorial de 1964 a 1985”.

A certidão emitida pelo ministério desmente Bolsonaro em sua afirmação de que Santa Cruz teria sido assassinado por integrantes da Ação Popular.

Com informações do Brasil de Fato.