Cappelli lê o placar de 379 x 131 na reforma da previdência

Publicado em 10 julho, 2019
Compartilhe agora!

O jornalista Ricardo Cappelli faz uma leitura curta e grossa da goleada –379 votos favoráveis a 131 contrários– na votação da reforma da previdência. Ele afirma que é a mesma quantidade de votos que a Dilma teve no impeachment (137), ou seja, a esquerda não cresceu desde 2016.

Cappelli lamenta que parte da esquerda chame de “revisionista” e “traidor” quem fala em frente ampla e outra, também topetuda, atira para todos os lados. “E os dois se odeiam mais do que odeiam Bolsonaro”, relata, sem citar o PT e o PDT.

LEIA TAMBÉM
Veja como votou cada deputado na reforma da previdência

Leia o texto:

SEGUE O BAILE…

Ricardo Cappelli*

Dilma caiu com 137 votos. Hoje tivemos 131 votos contra a reforma da previdência. Oi? Coincidência?

Uma parte da esquerda diz que se basta, que estamos a um passo de uma grande guinada à esquerda e que Frente Ampla é coisa de revisionista traidor.

Outra vive com uma metralhadora giratória atirando em tudo e em todos. Ninguém presta, só eles, obviamente.

E os dois se odeiam mais do que odeiam Bolsonaro.

Agora vão execrar Tabata, exigir expulsões e passar os próximos dias esculhambando os deputados do Centrão. Dividirão o mundo entre vendidos por emendas e não vendidos. Isolamento pouco é bobagem.

No final de semana vão lançar um documentário emocionante sobre a compra de votos e o desmonte da previdência. O filme vai fazer todo mundo chorar e ganhar prêmio no festival de Cannes.

E segue o baile…

*Ricardo Cappelli é jornalista e secretário de estado do Maranhão, cujo governo representa em Brasília. Foi presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes) na gestão 1997-1999.

Compartilhe agora!