Bolsonaro desautoriza fala de Moro sobre destruição de provas da Vaza Jato

Compartilhe agora

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) desautorizou neste sábado (27) a proposta do ministro da Justiça, Sérgio Moro, de destruir mensagens [provas] obtidas com a prisão de 4 supostos hackers de Araraquara (SP).

“A decisão de possível destruição não é dele [Moro]”, disse o presidente, que aparentemente se rendeu às pressões de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional.

Para Bolsonaro, “Moro não fala nada que a lei não permita fazer”, mas, na prática, o ministro da Justiça tem tomado medidas para fazê-lo. A prisão dos supostos hackers, por exemplo, é encarada como armação política para esvaziar os conteúdos graves da Vaza Jato.

LEIA TAMBÉM
OAB pede à Justiça Federal que impeça Moro de destruir mensagens

Deltan ganha sobrenome “Dinheirol” em encontro na Vigília Lula Livre; assista

CUT repudia portaria 666 do ministro da Justiça Sergio Moro

Kakay: Portaria 666 de Moro é muito grave

O presidente Bolsonaro voltou a dizer, também, que não está preocupado com o vazamento de mensagens suas pela Vaza Jato.

Além da promessa de Moro de destruir provas, o que a lei não permite, o ministro de Bolsonaro também outorgou a Portaria 666 com o claro intuito de deportar sumariamente o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil.