Por Esmael Morais

Advogado nordestino processa Bolsonaro por racismo no STF

Publicado em 23/07/2019

O advogado cearense Antonio Carlos Fernandes entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal ( STF ) contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) pelos crimes de injúria e racismo por ter se referido aos nordestinos como “paraíbas”.

Fernandes argumenta que o presidente usou o termo para se referir aos nordestinos “em tom jocoso, traduzindo desprezo e menoscabo, tendo cometido, inequivocamente, crime de injúria”.

LEIA TAMBÉM:
“A Bahia é um lixo”, afirmou líder de Bolsonaro durante bate-boca

“Sem dúvida o presidente da República excedeu-se, de forma gravosa, em seu destempero verbal, expressando um sentimento racista, discriminatório e preconceituoso em relação à procedência nacional dos nordestinos”, continua.

“As falas, as palavras e até os gestos praticados pelos presidentes da República têm o condão de induzir, de incitar práticas semelhantes pelos seus seguidores”, ressalta o advogado.

Entenda o caso:
Durante um café da manhã com jornalistas estrangeiros na última sexta-feira (19), Bolsonaro não percebeu que seu microfone estava aberto e atacou os governadores nordestinos, se referindo à região como “paraíbas”. Ele comentou com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “Daqueles governadores de ‘Paraíba’, o pior é do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

Com informações do O Globo