A #VazaJato virou livro sobre conduta de Moro e procuradores de Curitiba

Compartilhe agora!

As relações promíscuas entre o ex-juiz Sérgio Moro e os procuradores da força-tarefa Lava Jato serão contadas no livro “Relações Obscenas”, cujo lançamento será no mês de setembro.

A obra reúne 60 artigos da série de reportagens #VazaJato, publicada pelo site The Intercept Brasil, em parceria com outros veículos de comunicação.

A iniciativa do livro é da editora Tirant Lo Blanch, com o apoio dos Institutos Defesa da Classe Trabalhadora (Declatra) e Joaquín Herrera Flores.

As charges são de Aroeira e prefácio do jornalista Fernando Morais. O conjunto da obra ainda reúne juristas, políticos, outros jornalistas e escritores.

O advogado e professor Wilson Ramos Filho, o Xixo, explica que o livro também leva o leitor a refletir não apenas sobre as relações que estão sendo expostas, mas também, as que não estão reveladas. “São situações do subterrâneo do mundo jurídico e que, de forma alguma, podem ser naturalizadas ou ficarem sem uma resposta da sociedade”, afirma o presidente do Instituto Declatra.

LEIA TAMBÉM
PT chama o povo brasileiro a resistir ao avanço do autoritarismo no País

Gleisi diz que impeachment de Bolsonaro será debate conjunto da esquerda

UFPR fará audiência sobre programa Future-se; estudantes se mobilizam

Caravana percorre o Nordeste em defesa da terra, das aposentadorias e Lula Livre

Sobre a Vaza Jato

A série de reportagens que inspira o livro teve início em junho de 2019 quando o jornalista estadunidense, Glenn Greenwald, publicou a primeira matéria com base em um vazamento, encaminhado a ele por uma fonte anônima, de conversas do procurador Deltan Dallagnol, chefe da Força-Tarefa da Operação Lava Jato, com o agora ex-juiz Sérgio Moro e outros procuradores envolvidos.

Entre os diálogos vazados estão encontros “fortuitos” com representantes da Suprema Corte Brasileira, a revelação do receio da fragilidade de acusações e orientações do juiz aos procuradores, claramente envolvendo-se como parte da acusação.

Esta não é a primeira série do jornalista que ganha destaque mundialmente. Greenwald foi responsável pela revelação da existência de programas secretos de vigilância global, nos Estados Unidos, sob comando da Agência de Segurança Nacional (SNA). As informações foram vazadas ao jornalista por um ex-consultor do órgão estadunidense, Edward Snowden. A história é contada no filme “Snowden”, do diretor Oliver Stone, lançado em 2016.

Compartilhe agora!