Por Esmael Morais

40 advogados para proteger os jornalistas da Vaza Jato

Publicado em 09/07/2019

O jornalista Glenn Greenwald, do Intercept, recebeu apoio de um grupo de 40 advogados em uma reunião na segunda-feira (8) no Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM
“Fãs” da Vaza Jato pedem áudios de presente

Segundo a jornalista Mônica Bergamo da Folha, participaram da reunião representantes das principais entidades da advocacia brasileira, como a OAB, IDDD (Instituto de Defesa do Direito de Defesa), Ibccrim (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais), ABDJ (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia), IAB (Instituto dos Advogados Brasileiros), a Associação dos Criminalistas do Rio de Janeiro e o SASP (Sindicato dos Advogados de São Paulo).

A intenção é criar um Comitê pela Liberdade de Imprensa que defenda jornalistas ameaçados, neste e em outros casos. As defensorias públicas nacional e do Rio de Janeiro também participaram.

Entre os profissionais presentes estavam Nilo Batista, que advoga para Glenn; os juristas Geraldo Prado, Aury Lopes e Juarez Tavares, Carol Proner, da ABDJ; Dora Cavalcanti e Marina Dias, do IDDD; Juliano Breda, da OAB; Luciano Bandeira, da OAB-RJ; Marco Aurélio de Carvalho, do grupo Prerrogativas; Eleonora Nassif, Roberto Podval, Maíra Fernandes; a desembargadora aposentada Kenarik Boujikian; e Vitor Marques, do SASP.

Outros advogados como Alberto Toron e Antonio Carlos de Almeida Castro enviaram mensagens de apoio.

O encontro foi na casa da advogada Estela Aranha, em segredo, para não colocar Glenn e a equipe em risco. O jornalista Leandro Demori, do The Intercept Brasil, também estava presente.

As informações são da Folha de S. Paulo.