Por Esmael Morais

URGENTE: Senado marca votação de convocação de Deltan Dallagnol

Publicado em 12/06/2019

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado marcou para a próxima sessão, na semana que vem, a votação de convocação para depoimento do procurador Deltan Dallagnol acerca dos vazamentos publicados pelo site The Intercept Brasil.

O requerimento do senador Ângelo Coronel (PSD-BA) também previa a convocação do ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas o ex-juiz da Lava Jato se antecipou ao pedir para se explicar na CCJ na quarta-feira 19.

Moro e Dallagnol estão no olho do furação desde o último domingo (9) quando o Intercept publicou reportagens sobre conversas secretas entre o ex-juiz e o procurador da Lava Jato. Os dois, segundo o site do jornalista Gleen Greenwald, combinavam incriminação de réus na força-tarefa do Ministério Público Federal do Paraná.

LEIA TAMBÉM
Efeito Bolsonaro: comércio tem pior resultado para abril desde 2015

Numa das conversas no chat do Telegram, aplicativo de mensagens, o juiz (julgador) e o procurador (acusador) mencionam que ao menos 34 senadores e 82 deputados estariam na mira da Lava Jato.

Dallagnol – 16:01:03 – Caro, favor não passar pra frente: (favor manter aqui): 9 presidentes (1 em exercício), 29 ministros (8 em exercício), 3 secretários federais, 34 senadores (21 em exercício), 82 deputados (41 em exercício), 63 governadores (11 em exercício), 17 deputados estaduais, 88 prefeitos e 15 vereadores […].

Moro – 18:32:37 – Opinião: melhor ficar com os 30 por cento iniciais. Muitos inimigos e que transcendem a capacidade institucional do mp e judiciário.

Os depoimentos de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, a convite ou convocados, não arrefece o clima no Senado. Pelo contrário. O Intercept promete jogar mais gasolina na fogueira nas próximas horas, isto é, divulgar novas conversas sobre o modus operandi nada republicano da força-tarefa.