Por Esmael Morais

Serviços privatizados são reestatizados em quase 60 países

Publicado em 03/06/2019

O Transnational Institute (TNI) sediado na Holanda contabilizou no período de 2000 a 2017, a reestatização de 884 serviços prestados pelo setor privado no mundo, sendo 83% delas transcorridos a partir da crise global (2008). As informações estão em um artigo de Márcio Pochmann no Portal Rede Brasil Atual.

A reestatização está ocorrendo principalmente ems serviços essenciais como saneamento, transporte, distribuição de água, energia, coleta de lixo e outros.

A desprivatização alcançou países como os EUA, Alemanha, França, Índia, Moçambique, Canadá, entre outros.Ela pode ser justificada pela constatação de que as empresas privadas, ao priorizarem o lucro, terminaram por aumentar os preços e prestarem serviços insatisfatórios.

Somente a reestatização dos serviços de saneamento aconteceu em cerca de 270 cidades no mundo, como em Paris e Berlim.

LEIA TAMBÉM: Projeção do PIB cai pela 14ª vez, diz boletim Focus

Do total do PIB mundial, cerca de 1/10 depende diretamente das atividades desenvolvidas por empresas estatais situadas em vários setores como telecomunicações, transporte, energia, petróleo e gás e outras. Das 21 maiores empresas petrolíferas do mundo, por exemplo, 13 são estatais.

O avanço na retomada das estatais se generaliza em países de distintas realidades. Só na França, por exemplo, a quantidade de empresas controladas pelo Estado saltou de 830 na metade da década passada para 1,6 mil em 2015, ao passo que na Bolívia o processo de estatização consolidou o crescimento econômico e estabilidade política com 30 estatais respondendo por 40% do PIB nacional.

O artigo completo de Márcio Pochmann está no Portal Rede Brasil Atual.