Rui Costa: ‘Questão simbólica é prática nazista’

Publicado em 29 junho, 2019
Compartilhe agora!

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), classificou como “nazista” o pedido do procurador Deltan Dallagnol para que se fizesse busca e apreensão por uma “questão simbólica” contra o senador Jaques Wagner (PT-BA) dias antes da eleição do segundo turno.

Wagner era coordenador da campanha do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, que disputava o segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL).

“Isso é urgentíssimo. Tipo agora ou nunca kkkkk”, recomendou o procurador Deltan Dallagnol numa das mensagens que, diante de ponderação de seu interlocutor, outro procurador, completa: “Acho que se tivermos coisa pra denúncia, vale outra BA [busca e apreensão] até, por questão simbólica”.

LEIA TAMBÉM
Laura Tessler sobre Sérgio Moro fazer parte do governo: “Bozo é muito mal visto”

“A sociedade apoia investigação séria para combater a corrupção mas não apoia um judiciário e um MP em formato de partido político com feições nazistas numa perseguição cruel aos seus adversários por “questão simbólica””, protestou neste sábado (29) o governador baiano.

Para o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), a pressa de Deltan para promover ação a 4 dias do 2° turno prova que ele usou seu cargo e a estrutura do Ministério Público Federal (MPF) para influenciar a eleição, violar o processo eleitoral e a democracia.

Compartilhe agora!