O Supremo com medo de Lula

Publicado em 25 junho, 2019
Compartilhe agora!

A ministra do STF Cármen Lúcia, negou por meio de nota, que tivesse adiado o julgamento do habeas corpus (HC) do ex-presidente Lula. Mesmo assim, é possível que o julgamento não ocorra nesta terça-feira.

O ministro Edson Fachin é o relator do HC 164.493, que pede suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça Sergio Moro no caso do tríplex.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa inédita sobre os impactos dos vazamentos do Intercept na Lava Jato; confira

Cármen Lúcia esclareceu na nota que “todo processo com paciente preso tem prioridade legal e regimental, especialmente quando já iniciado o julgamento, como nos casos de vista, independente da ordem divulgada.”

Nos bastidores, o que se vê é o medo do Supremo Tribunal Federal em decidir pelo óbvio, que é a libertação do ex-presidente Lula.

O HC já foi rejeitado por Cármen Lúcia e Edson Fachin. Faltam votar os ministros Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Gilmar Mendes. Os três devem votar a favor do ex-presidente.

Uma das saídas para adiar a soltura de Lula é por em dúvida a veracidade dos diálogos entre o ex-juiz Sérgio Moro e os procuradores da lava jato vazados pelo Intercept. Dessa forma, tudo ficaria para agosto. Por enquanto, esses diálogos não estão no processo.

Com agências.

Compartilhe agora!