MPF dá pazo para que MEC cancele Nota contra protestos

Publicado em 1 junho, 2019
Compartilhe agora!

O Ministério Público Federal pediu que o ministério da Edução se retrate e cancele nota em que ‘desautoriza'”professores, servidores, funcionários, alunos, pais e responsáveis’ que estimula protestos contra o governo.

O MPF afirmou que encaminhou ao Ministério da Educação, “na pessoa de seu ministro”, uma recomendação para que ele cancele a nota oficial dizendo que “professores, servidores, funcionários, alunos, pais e responsáveis não são autorizados a divulgar e estimular protestos durante o horário e no ambiente escolar”.

LEIA TAMBÉM: Povo na rua e pesquisa enterram a reforma da previdência

Já o MEC afirmou que ainda não foi notificado, que “não proíbe pais e alunos de divulgar protestos” e que a nota oficial “respeita fielmente a Constituição e teve o específico propósito de alertar para ‘eventual’ uso indevido de instituições públicas fora das suas finalidades legais para atender interesse ou ideologia pessoal”.

Ainda segundo o MEC, entre a quarta-feira (29) e a manhã desta sexta, a Ouvidoria do MEC registrou 439 manifestações. Um balanço parcial de 212 manifestações, segundo a pasta, mostra que 190 faziam referência aos protestos desta quinta.

LEIA TAMBÉM: MEC diz que manifestação de hoje é movimento “político-partidário”

Assinada pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Rio Grande do Sul, a recomendação deu ao MEC dez dias para responder se acatará ou não a recomendação e faz parte de um inquérito civil.

Ainda segundo o documento, “o não acatamento infundado do presente documento, ou a insuficiência dos fundamentos apresentados para não acatá-lo total ou parcialmente, poderá ensejar a adoção das medidas judiciais cabíveis”.

Com informações do G1.

Compartilhe agora!