Ministro da Educação diz não querer “gente chata e de esquerda” em seu Twitter

Publicado em 28 junho, 2019

Após fazer uma piada para lá de inconveniente sobre os ex-presidente petistas Lula e Dilma no episódio do “Aerococa” do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou sexta-feira (28) não querer “gente chata e de esquerda” seguindo-o no Twitter.

LEIA TAMBÉM:
Petistas acionam Conselho de Ética da Presidência contra conduta ofensiva do ministro da Educação

Numa sequência de tuítes, Weintraub tentou minimizar o caso argumentando que fez tais comentários em sua conta pessoal e que é “bem humorado”.

“Saliento alguns pontos (apenas para uma minoria que ainda não percebeu): esse é meu Twitter, caso queiram informação institucional, sigam o do MEC; ninguém é obrigado a me seguir ou ver o que escrevo, tem o link do MEC para isso; tenho vida fora do trabalho;”, escreveu o ministro da Educação.

“Mais pontos a reforçar: Sou bem humorado, porém, não faço piada com dinheiro suado do pagador de impostos; Não estou aqui para ganhar dinheiro ou arrumar emprego em faculdade privada com a qual interagir como ministro; estou aqui para arrumar o “belo trabalho que o PT fez”;”, prosseguiu.

“Mais alguns: Esse é meu Twitter e ao contrário do Congresso (local do debate), aqui não quero gente chata e de esquerda (sim, há exceções). Pode ser chato (Constantan e “isentinho”) ou petezinho (mas tem que ser engraçado). Caso contrário bloqueio. Por isso mantive o cocada,”, concluiu.

Weintraub foi alvo de críticas após postagem no Twitter em que ironizava episódio do avião da comitiva de Bolsonaro encontrado na Espanha com 39kg de cocaína.

“No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”, postou.

Confira os tuítes do ministro da Educação: