Por Esmael Morais

Lula manda carta ao Seminário Terra e Território

Publicado em 08/06/2019

O ex-presidente Lula enviou uma carta para os participantes do Seminário Terra e Território que reúne movimentos do campo e ambientais, intelectuais, gestores públicos e dezenas de organizações. O evento acontece na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), até este sábado (8).

O objetivo do encontro é traçar uma plataforma unitária e uma carta de compromisso dessas entidades com a soberania do povo brasileiro e em defesa do meio ambiente. Estes documentos serão apresentados em um ato público, às 14h, com a presença de representantes dessas organizações, parlamentares e do ex-candidato a presidente Fernando Haddad (PT).

Na mensagem, Lula relembra suas viagens pelo país em que discutiu com os povos de cada lugar buscando saídas para melhorar a vida do povo. Ele também fala da sua prisão política.

“Talvez seja por isso que eles achem tão importante me deixar preso. Para eu não poder estar aí, com vocês, lembrando, discutindo e construindo um outro país que já provamos que é possível.” Diz o texto:

Confira na íntegra a carta de Lula:

Queridos amigos reunidos no Seminário Terra e Território,

Conhecer o Brasil é conhecer a sua gente, a sua terra, a sua natureza, saber como o povo vive, mora, trabalha, estuda e se alimenta pelo nosso país tão grande, de realidades tão diferentes.

Eu dediquei décadas da minha vida a viajar, conversar, estudar, a conhecer esse país. Viajei o Brasil todo para a criação do PT e da CUT, para apoiar as organizações de trabalhadores do campo e defensores do meio ambiente em suas lutas, para velar companheiros assassinados covardemente, para apoiar lutas sociais e políticas.

Depois de 1989, quando fui candidato a presidente, decidi viajar ainda mais, criando as Caravanas da Cidadania, para ouvir o povo e conversar com estudiosos e lideranças locais as experiências, os problemas e as soluções de cada região do país.

Também foi assim que eu governei, sem nunca me acomodar no ar condicionado de Brasília, mas indo onde o povo estava.

Talvez seja por isso que eles achem tão importante me deixar preso. Para eu não poder estar aí, com vocês, lembrando, discutindo e construindo um outro país que já provamos que é possível.

Um Brasil governado para todos, mas com um cuidado maior com os que precisam. Onde as pessoas tenham emprego, onde o meio ambiente é respeitado, onde há oportunidade das pessoas estudarem, onde a segurança alimentar é prioridade, onde a agricultura familiar é valorizada.

Mas se eles podem prender um corpo, não podem prender nem uma ideia nem o povo. Por isso me alegra saber que pessoas de todo o país estão reunidas debatendo o desenvolvimento verdadeiro e sustentável do nosso território, da nossa soberania, do chão que nós pisamos e da natureza que nos cerca.

Não podemos parar de pensar soluções e de andar por esse país conversando com o povo sobre esse outro Brasil, sobre o respeito com que o povo e a terra brasileira merecem ser tratados por aqueles que a amam de verdade.

Um grande encontro e um forte abraço,

Luiz Inácio Lula da Silva

Do Brasil de Fato.