Greve dos servidores do Paraná começa nesta terça

Compartilhe agora!

A greve geral dos servidores públicos do Paraná começa nesta terça-feira (25) e segue por tempo indeterminado. O comando da greve concederá uma entrevista coletiva para informar a sociedade sobre as razões do movimento.

Segundo as entidades, estudos orçamentários comprovam que há condições do governo pagar a reposição salarial sem oferecer qualquer risco às contas públicas.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa inédita sobre os impactos dos vazamentos do Intercept na Lava Jato; confira

Também haverá uma ato público dando o início da greve organizada por cerca de 30 sindicatos e associações que representam os servidores estaduais. A concentração terá início às 9h, na Praça Nossa Senhora de Salete, em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Outros atos também estão programados nas principais cidades do Paraná. Em Maringá e Foz do Iguaçu a concentração também ocorre às 9h. Será em frente à sede do Núcleo Regional de Educação. Em Cascavel, educadores visitarão escolas e depois se reúnem na sede da APP-Sindicato.

Policiais civis fizeram sesta segunda-feira (24) uma carreata com carros de polícia antigos e em mau estado de manutenção para protestar por melhores condições de trabalho e por reajuste salarial, em Curitiba.

A greve é, principalmente, para cobrar do governo o pagamento da reposição salarial. O funcionalismo está com os rendimentos congelados desde 2016. Segundo o DIEESE, a defasagem já está em 17,02%. De acordo com o economista, Cid Cordeiro, o cálculo do prejuízo aponta que o Estado está deixando de pagar aos trabalhadores o equivalente a mais de dois meses de salário por ano.

A reposição está prevista no artigo 18 da Lei Orçamentária de 2019, aprovada pela Assembleia Legislativa, e a saúde das contas públicas do Estado atende todos os requisitos exigidos na legislação para a revisão dos rendimentos, em especial o superávit de R$ 2,2 bilhões no caixa governo, registrado ao final de 2018.

Com informações da APP-Sindicato.

Compartilhe agora!