Greve dos servidores cresce e aumenta a pressão sobre Ratinho Jr.

Compartilhe agora!

A greve dos servidores públicos estaduais do Paraná está ganhando novas adesões e aumentando a pressão sobre o governador Ratinho Junior (PSD).

Segundo o Fórum das Entidades Sindicais (FES), a adesão cresceu no segundo dia da paralisação. Quase 90% das escolas públicas estaduais estão paradas total ou parcialmente.

LEIA TAMBÉM: Requião: “O Paraná pariu um rato”; assista

As universidades estaduais também estão aderindo. UEM, UEL, UNESPAR, UEPG iniciaram a paralisação nesta quarta-feira. Outras categorias também estão parando e aderindo Às mobilizações.

Por outro lado, o governador cancelou uma reunião que estava marcada com os representantes dos servidores para negociar as reivindicações.

Os(as) trabalhadores(as) reivindicam o pagamento de 4,94% referente a inflação dos últimos 12 meses, e a negociação dos atrasados. As perdas acumuladas passam de 17%. De acordo com o economista Cid Cordeiro, os servidores(as) estão deixando de receber o equivalente a dois meses de salário por ano.

Segundo os estudos orçamentários do FES, com base em relatórios oficiais divulgados pela Secretaria da Fazenda, o governo Ratinho Junior tem condições de atender a reivindicação dos(as) servidores(as) sem qualquer risco para a saúde financeira do estado.

Confira a seguir o Boletim da Greve da Educação:

O Blog do Esmael entrevistou o presidente da APP-Sindicato, Hermes Leão, que fez uma avaliação do movimento. Assista:

Com informações da APP-Sindicato.

Compartilhe agora!