Gleisi: General Heleno expõe ódio a Lula e ameaça instituições

Publicado em 14 junho, 2019

A presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), divulgou uma nota no início da noite de hoje (14) criticando o ataque de pelanca do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, que durante um café da manhã com jornalistas levantou a voz, deu socos na mesa e defendeu “prisão perpétua” para o ex-presidente Lula (PT).

“Ao exigir “prisão perpétua” para Lula, o general mostrou desprezo pela Constituição do Brasil, que não prevê tal pena para ninguém. Sua fala constitui clara ameaça ao Supremo Tribunal Federal, que está prestes a julgar a suspeição do ex-juiz Sergio Moro na ação em que condenou o ex-presidente, em conluio ilegal com a Força-Tarefa da Lava Jato”, diz trecho da nota da dirigente petista.

General Heleno ‘dá piti’ e pede prisão perpétua para Lula

Leia a íntegra da nota de Gleisi:

O deplorável ataque de truculência do general Augusto Heleno diante de jornalistas, esta manhã (14/6), expõe cruamente seu ódio contra o presidente Lula e tudo o que ele representa para o sofrido povo brasileiro. É um ódio patológico que transborda no momento em que vem sendo confirmada, para o Brasil e o mundo, a verdade sobre a farsa judicial que levou Lula à prisão injusta e ilegal.

Ao exigir “prisão perpétua” para Lula, o general mostrou desprezo pela Constituição do Brasil, que não prevê tal pena para ninguém. Sua fala constitui clara ameaça ao Supremo Tribunal Federal, que está prestes a julgar a suspeição do ex-juiz Sergio Moro na ação em que condenou o ex-presidente, em conluio ilegal com a Força-Tarefa da Lava Jato.

O general Heleno repete, com murros na mesa, o mesmo tipo de pressão exercida contra o STF pelo então comandante do Exército, em maio de 2019, no julgamento do habeas corpus do ex-presidente. Lula Livre é o maior pesadelo para quem serve a um governo lesa-pátria, que entrega as riquezas do país a interesses estrangeiros, trai a soberania e ataca os direitos do povo.

Como disse Lula em entrevista divulgada na véspera, “quem serve a um governo que bate continência para a bandeira de outro país não merece ser general”. Diante da verdade exposta de forma tão clara, o general Heleno reagiu com preocupante desequilíbrio, desrespeitando e ofendendo aquele que foi seu comandante supremo durante oito anos.

Mais que uma transgressão dos códigos de disciplina militar, foi uma agressão à democracia, que exige nosso repúdio. O Brasil não merece ser governado pela truculência, pelo autoritarismo e por meio de ameaças às instituições.

Lula Livre!

Gleisi Hoffmann

Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores