Em depoimento na Câmara, Greenwald reitera autenticidade da Vaza Jato

Publicado em 25 junho, 2019
Compartilhe agora!


Em audiência na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, reiterou nesta terça-feira (25) a autenticidade do material recebido de uma fonte anônima de diálogos com mensagens, áudios e vídeos entre o atual ministro da Justiça e ex-juiz, Sergio Moro, e membros da força-tarefa da Lava Jato entre os anos de 2015 e 2018.

Desde o início do mês, o The Intercept vem divulgando trechos dos diálogos que Moro teria mantido com integrantes da força-tarefa da Lava Jato, principalmente com o coordenador da força tarefa, Deltan Dallagnol, quando ainda era juiz da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, onde é julgado os processos da Lava Jato.

O ministro tem afirmado que as mensagens veiculadas pela imprensa foram tiradas de contexto e podem ter sido adulteradas. Moro informou que usava o aplicativo de mensagens Telegram para “agilizar” os contatos com procuradores da força-tarefa da Lava Jato necessários à execução de procedimentos legais e que suas conversas não revelam nenhuma ilegalidade, tendo sido obtidas “criminosamente” por hackers que interceptaram as comunicações de autoridades.

Segundo Glenn Greenwald, o ministro não apontou até o momento qualquer material específico publicado em que possa ter ocorrido adulteração.

O The Intercept afirma ter recebido de uma fonte anônima um imenso arquivo contendo mensagens em texto e áudio. A equipe de jornalistas do site garante ter apurado a veracidade das informações. Para os jornalistas, as conversas indicam que Moro infringiu o código da magistratura ao ajudar os procuradores da República a instruírem o processo penal, sugerindo a ordem de deflagração de operações policiais da Lava Jato e indicando testemunhas a serem ouvidas pela acusação. O site diz que não revelará a origem das mensagens. A Constituição Federal reserva a todo jornalista o direito de não revelar suas fontes de informações.

*Com informações da Agência Brasil

Compartilhe agora!