Por Esmael Morais

Congresso vai rejeitar novas leis do trânsito de Bolsonaro

Publicado em 08/06/2019

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) entrou na contramão do senso comum e poderá ser atropelado pelo Congresso Nacional acerca das novas leis de trânsito.

Câmara e Senado, por meio de seus respectivos presidentes, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP), já se manifestação contra as propostas que desobrigam a cadeirinha para criança e o exame toxicológico para motoristas de caminhão.

Além de barrar essas duas bandeiras de Bolsonaro, as Casas também poderão segurar no peito outro projeto do presidente da República: o que acaba com multas eletrônicas com radares móveis; aí fala mais alto o lobby da indústria da multa.

LEIA TAMBÉM
URGENTE: Justiça derruba cortes do MEC nas universidades

O Congresso tem sido retroativo em relação ao executivo e judiciário. Os parlamentares só se manifestam claramente sobre perfumaria. Se omite ou fazem o jogo do grande capital em questões essenciais como privatizações de estatais e a descapitalização dos trabalhadores para a capitalização dos bancos (reforma da previdência).

Nesses pontos mais estratégicos, Alcolumbre e Maia estão estacionados e poderão ser atropelados pela diabólica trinca forma por Bolsonaro, mídia e sistema financeiro. Quem perde é o povo.

Se o Congresso votar pelo fim da aposentadoria, pode anotar aí, 85% das cadeiras nas duas casas legislativas serão renovados nas eleições de 2022.