Bolsonaro admite a caminhoneiros que pode ser cassado

Compartilhe agora!

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) admitiu pela primeira nesta sexta-feira (31) vez que poderá ser cassado. A declaração foi dada durante almoço com caminhoneiros numa churrascaria de Anápolis (GO).

“Estou comendo o pão que o diabo amassou, tá. Não loteamos ministérios, bancos oficiais, estatais. Só mudo se alguém cassar meu mandato”, disse o presidente a jornalistas.

Bolsonaro ouviu de caminhoneiros críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) que, segundo eles, a Corte não teria “boa vontade” com o governo. Mas o presidente voltou a reafirmar que a única forma de fazê-lo recuar seria cassando seu mandato.

LEIA TAMBÉM
Em artigo, Eugenio Aragão critica pacto de Toffoli com Bolsonaro

Durante o encontro, Bolsonaro afirmou que já tinha cumprido duas promessas de campanha com a categoria e, à noite de ontem, após o fechamento da bolsa, surpreendeu intervindo na Petrobras para reduzir os preços do diesel e da gasolina.

Veja as medidas para atender aos caminhoneiros:

1- liberação do porte de armas, classificando a atividade de caminhoneiro como de risco
2- eliminação de radares móveis das rodovias
3- redução no preço do diesel em 6%

A reunião ocorrida no “Posto e Churrascaria Presidente – Um Amigo na Estrada” teve como objetivo distensionar com caminhoneiros que ameaçavam paralisar por causa dos aumentos abusivos, sobretudo dos combustíveis, haja vista que a Petrobras pratica preços atrelados à variação do dólar e à cotação internacional do petróleo.

Compartilhe agora!