sociologos criticam bolsonaro

Sociólogos de Harvard, Cambridge e Sorbonne criticam Bolsonaro em manifesto

Mais de 5 mil sociólogos, incluindo professores e pesquisadores das universidades Harvard, nos Estados Unidos, Cambridge, na Inglaterra, e Sorbonne, na França, divulgaram um manifesto em apoio ao estudo da sociologia no Brasil.

O manifesto, assinado por 5.089 pesquisadores, foi publicado após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciar a redução de investimentos federais nas faculdades de Filosofia e Sociologia do país.

LEIA TAMBÉM:
Com medo de fiasco, Bolsonaro cancela viagem a Nova York

Os pesquisadores afirmam no manifesto que “a tentativa de tirar fundos de programas de sociologia é uma afronta à disciplina, à academia e, mais ainda, à busca humana pelo conhecimento”.

Os pesquisadores afirmam ainda que “muitos políticos foram convencidos, por meio de uma marquetização da educação superior, que a educação universitária só é valida se for imediatamente rentável”, mas isso seria errado, já que “o propósito da educação superior deve ser produzir uma sociedade enriquecida e escolarizada, que se beneficia do ambiente coletivo para criar conhecimento”.

Com informações da Época