Por Esmael Morais

Sete partidos põem Toffoli contra a parede

Publicado em 29/05/2019

Dirigentes de sete partidos de oposição –PT, PCdoB, PSB, PDT, PSOL, REDE e PCB– questionam a presença do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, na mesa de negociação para viabilizar reformas propostas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

As lideranças partidárias oposicionistas irão requisitar uma audiência com o presidente da Corte para manifestar descontentamento no projeto “Juntos e Shallow Now” protagonizado por Toffoli e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ambos hostilizados pela manifestação bolsonarista do domingo (26).

LEIA TAMBÉM
No desespero, robôs apelam para a censura com #Dia30MeuFilhoNaoVai

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), afirmou o Fórum de Partidos –composto pelas sete agremiações– realizarão plenárias com movimentos sociais e visitará a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) “em defesa da democracia e contra o pacto anti-povo” dos três poderes (executivo, legislativo e judiciário).

A reforma da previdência é o principal ponto discutido pelos entusiastas do diabólico pacto firmado entre Bolsonaro, Maia e Toffoli cujas controvérsias terão de ser resolvidas pelo STF. Portanto, o presidente do Supremo contamina a Corte ao se confundir com as demandas do sistema financeiro.