Por Esmael Morais

Reitor da UFPR afirma que universidades podem fechar em agosto

Publicado em 20/05/2019

O reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Ricardo Marcelo Fonseca, afirmou que o corte no orçamento feito pelo governo Bolsonaro vai inviabilizar o funcionamento das instituições federais a partir de agosto. A afirmação foi em um pronunciamento na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), nesta segunda-feira (20).

“Não só a Universidade Federal do Paraná, mas o conjunto das universidades federais brasileiras e os institutos federais, a partir do início do segundo semestre, não terão mais condição de funcionamento. As verbas que foram cortadas são para manutenção, água, luz, limpeza e vigilância. Não há instituição que funcione sem isso”, disse o professor Ricardo.

LEIA TAMBÉM: Reitor chama a comunidade para defender a UFPR

O reitor falou em nome da UFPR, UTFPR, IFPR e Unila, em exposição requerida pelos deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) e Professor Lemos (PT).

Segundo o Professor Lemos, “O corte é terrível, ele vai parar as universidades e institutos federais no segundo semestre. Não para só o ensino, para a pesquisa. O impacto é muito negativo às pesquisas que já estão em andamento há dez, 15 ou 20 anos, por exemplo. Estes trabalhos de longo prazo não podem ser interrompidos, o prejuízo é incalculável.”

Já Romanelli pediu a mobilização de todos os parlamentares em defesa das instituições. “As universidades públicas federais constituem o maior sistema de formação de recursos humanos, produção de conhecimento, desenvolvimento tecnológico, prestação de serviços à sociedade e promoção da cidadania do país. É preciso defender as universidades públicas de todo o país. Há risco concreto de retrocesso na educação. A descontinuidade das políticas de financiamento desse sistema ameaça o desenvolvimento nacional na construção de uma sociedade melhor e mais justa”, disse.

As informações são da ALEP.