Por Esmael Morais

MPF quer rever decreto que libera as armas

Publicado em 15/05/2019

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação para que o decreto que libera a compra e o porte de armas seja suspenso. Para os procuradores, o aumento na comercialização de armas no Brasil pode ter efeitos “irreversíveis”.

O decreto foi assinado por Bolsonaro em 7 de maio. Ele amplia o leque de profissionais e categorias que podem ter acesso a armas; permitindo, inclusive, que menores de idade pratiquem tiro.

Os partidos Rede Sustentabilidade e PSOL moveram ações no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando o decreto.

LEIA TAMBÉM: Boulos rebate Bolsonaro: “Idiota e inútil”

Já a ação do MPF foi protocolada junto à 17ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.

“De fato, por se tratar a arma de fogo de bem durável, o aumento da comercialização de armas em decorrência do novo decreto impactará desde já por décadas no número de armas em circulação no País e repercutirá na segurança pública do País”, afirma o texto da ação.

Com informações da Folha de S. Paulo.