Por Esmael Morais

Lula: “Quero ir pra casa”

Publicado em 03/05/2019

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu nesta sexta (3), em Curitiba, sua segunda entrevista na prisão ao jornalista Kennedy Alencar. “Quero ir pra casa”, disse o petista.

Segundo o jornalista, Lula pedirá progressão do regime porque ele tem direito haja vista que restam menos de 8 anos de pena a cumprir.

“Eu quero ir pra casa. Agora, se eu tiver que abrir mão de continuar a briga pela minha defesa, eu não tenho nenhum problema de ficar aqui”, declarou o entrevistado.

A entrevista completa irá ao ar neste sábado (4) na Rede TV!

Abaixo, leia trechos da entrevista com o ex-presidente — direto da Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense.

LEIA TAMBÉM
‘Cabeça’ de Moro pode ser moeda de troca de Bolsonaro na reforma da previdência

Lula pedirá progressão de regime: “Quero ir pra casa”
Com menos de oito anos a cumprir, benefício pode ser pedido
KENNEDY ALENCAR
CURITIBA

Em entrevista hoje de amanhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que pretende pedir progressão de regime para deixar prisão fechada. Ele está preso na Superintendência da Polícia Federal.

Lula afirmou que teria reunião hoje à tarde com seus advogados para solicitar benefício que tem por direito, deixando claro que não desistirá de provar inocência e que a atitude não é admissão de culpa.

Leia trecho:

Lula: Por que você acha que eu digo que não troco a minha dignidade pela minha liberdade? Porque, de vez em quando as pessoas falam “Ah, mas agora foi julgado e tem a tal da detração [penal] e você já pode sair”. Obviamente, quando os meus advogados disserem “Lula, você pode sair”, eu vou sair. Só sairei daqui se qualquer coisa que tiver que tomar decisão não impedir de eu continuar brigando pela minha inocência.

Kennedy Alencar: A questão da detração, presidente, é um direito que o sr. tem, porque o sr. já tem menos de oito anos de pena a cumprir. E, no regime brasileiro, pode ir para o semiaberto. Como não há vagas, o sr. poderia sair para trabalhar durante o dia e voltar para casa. O sr. vai pedir a detração penal?

Lula: Olha, eu só pedirei no dia em que meus advogados, o Cristiano [Zanin] e o [Roberto] Batochio, disserem pra mim “Presidente Lula, o sr. pode pedir, que, se o sr. pedir, o sr. pode continuar a sua briga pela sua inocência”.

KA: Os advogados já dizem isso.

Lula: Os meus advogados não disseram. Eu vou ter uma reunião com o Cristiano hoje, que eu quero entender bem isso. Tem muita gente dando palpite.

KA: Então, vamos ser claros aqui: se os advogados disserem que sr. pode pedir esse direito e isso significar que o sr. pode continuar dizendo que é inocente, o sr. vai pedir?

Lula: Não é só dizendo, não. Eu quero continuar provando a minha inocência. Aí, eu posso pedir. (…) Olha, se os advogados disserem para mim, “Lula, você pode pedir a detração e você vai continuar brigando pela sua inocência do mesmo jeito que você está”, eu não tenho nenhum problema de pedir, porque eu quero sair daqui.

KA: O sr. vai pedir ou não vai pedir?

Lula: Eu posso pedir.

KA: Pode ou vai?

Lula: Posso pedir se eles me garantirem que eu posso continuar me defendendo.

KA: Seja claro, presidente… se eles disserem, o sr. vai pedir?

Lula: Peço. Eu quero ir pra casa. Agora, se eu tiver que abrir mão de continuar a briga pela minha defesa, eu não tenho nenhum problema de ficar aqui.

Com informações do blog de Kennedy Alencar.