Por Esmael Morais

Governo Bolsonaro ajudou retirar Coaf de Sérgio Moro

Publicado em 10/05/2019

A retirada do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) da aba do ministro Sérgio Moro (Justiça) teve o dedo ontem (9) do próprio governo Jair Bolsonaro (PSL).

O relatório de votação na comissão especial não deixou margem à dúvida alguma sobre esse fato: foram 14 votos a favor da mudança e 11 contra.

Ainda segundo o mesmo relatório, votaram pela retirada do Coaf da pasta de Moro representantes de PP, PR, PSD, DEM, MDB, PSDB, PT, PDT e PSB.

LEIA TAMBÉM
Lula explica como tuíta: Do mesmo jeito que o Bolsonaro

Dos 14 votos contrários ao Coaf com Moro, 9 vieram de partidos da base aliada do governo.

O ex-juiz Sérgio Moro não é confiável para o governo Bolsonaro, Congresso Nacional, meio empresarial e o sistema financeiro, aliás, sem ajuda dos bancos seria quase impossível casos de corrupção no Brasil.

A entrada de Moro para a Justiça foi condicionada com a ida do Coaf para a pasta, mas o ministro jura que fica no cargo mesmo desidratado.

Em Brasília, após a derrota no Congresso, os bastidores apontam possível pedido de demissão do ministro Sérgio Moro.