Estudantes da USP decidem participar da greve geral da Educação

Compartilhe agora!


Os estudantes da Universidade de São Paulo (USP) decidiram em assebleia geral na última quinta (9) participar da Greve Geral da Educação, convocada para o dia 15 de maio, contra os cortes de Jair Bolsonaro e Abraham Weintraub nas universidades e institutos federais e bolsas de pesquisa. Cerca de 800 estudantes participaram da assembleia geral.

Desde o anúncio de Bolsonaro do corte de verbas nos cursos de sociologia e filosofia, os estudantes da USP vêm fazendo assembleias de cursos para discutir a resposta do movimento estudantil ao governo. Após os cortes de 30% nas verbas das universidades e institutos federais e o corte de todas as novas bolsas de pesquisa da Capes, órgão de fomento à pesquisa, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) Livre da USP convocou uma Assembleia Geral para que os cursos discutissem em conjunto.

O plenário aprovou por unanimidade a participação nas manifestações do dia 15.

A presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Mariana Dias, esteve na assembleia e informou os estudantes da USP sobre as mobilizações realizadas por estudantes em diversas regiões do país, como as manifestações com mais de dez mil pessoas em Niterói (RJ) e Curitiba (PR).

Compartilhe agora!