Por Esmael Morais

Estudantes da USP decidem participar da greve geral da Educação

Publicado em 11/05/2019


Os estudantes da Universidade de São Paulo (USP) decidiram em assebleia geral na última quinta (9) participar da Greve Geral da Educação, convocada para o dia 15 de maio, contra os cortes de Jair Bolsonaro e Abraham Weintraub nas universidades e institutos federais e bolsas de pesquisa. Cerca de 800 estudantes participaram da assembleia geral.

Desde o anúncio de Bolsonaro do corte de verbas nos cursos de sociologia e filosofia, os estudantes da USP vêm fazendo assembleias de cursos para discutir a resposta do movimento estudantil ao governo. Após os cortes de 30% nas verbas das universidades e institutos federais e o corte de todas as novas bolsas de pesquisa da Capes, órgão de fomento à pesquisa, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) Livre da USP convocou uma Assembleia Geral para que os cursos discutissem em conjunto.

O plenário aprovou por unanimidade a participação nas manifestações do dia 15.

A presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Mariana Dias, esteve na assembleia e informou os estudantes da USP sobre as mobilizações realizadas por estudantes em diversas regiões do país, como as manifestações com mais de dez mil pessoas em Niterói (RJ) e Curitiba (PR).