Estadão vê “devaneios” de Bolsonaro, mas concorda com a pauta

Publicado em 5 maio, 2019
Compartilhe agora!

Em editorial deste domingo (5), o Estadão aponta desconexão com a realidade do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos, ministros e de seu guru – o “ex-astrólogo” Olavo de Carvalho.

O jornalão classifica como “devaneios” do grupo bolsonarista no governo, isto é, patologia na qual o paciente vê coisas além da realidade. Chama-se a isto de “fantasia” na psicanálise.

De acordo com Sigmund Freud, o pai da psicanálise, o devaneio é a expressão dos instintos humanos reprimidos semelhantes aos sonhos ocorridos durante a noite.

LEIA TAMBÉM
Xico Sá não perdoa Bolsonaro: o limite é o Mobral

Já a escola norte-americana de psicanálise encara os devaneios em três gradações: 1- bons momentos 2- devaneios de culpa e 3- devaneios de medo.

Voltemos ao diagnóstico do Estadão:

“Movido a impulsos claramente desordenados, o presidente Bolsonaro desconsidera os limites concretos de sua atuação – legais, institucionais e econômicos – e parece convencido de que sua vontade basta para tornar realidade o que não passa de fantasia.”

Agora o que chama a atenção é que os ditos devaneios do presidente Jair Bolsonaro sempre são contrários aos interesses do povo, a favor dos bancos e de setores da velha mídia.

A reforma da previdência –que tira a aposentadoria dos velhinhos—e a proposta de agressão à Venezuela –supostamente para derrubar Nicolás Maduro—unem o bolsonarismo e o Estadão, por exemplo. Um horror!

Então, o que há de errado entre Estadão, Folha, Globo et caterva e Bolsonaro? Somente a questão comercial, ora pois.

Compartilhe agora!