Bolsonaro entregaria riquezas para o FMI, disse Adélio ao justificar facada

Publicado em 30 maio, 2019
Compartilhe agora!

Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada em Jair Bolsonaro, afirmou durante avaliação psiquiátrica que tentou assassinar o então candidato porque, se eleito, ele “entregaria nossas riquezas ao FMI, aos maçons e à máfia italiana”.

Adélio disse na avaliação que seriam mortos “os pobres, pretos, índios, quilombolas, homossexuais, só ficando os ricos maçons dominando as riquezas do Brasil”.

LEIA TAMBÉM:
Igreja Católica prepara ofensiva pela liberdade de Lula

O autor da facada em Bolsonaro, que está preso em Campo Grande (MS), disse ainda que, quando sair da prisão, vai “cumprir sua missão de matar Bolsonaro e Michel Temer, que também participaria do complô maçônico para conquistar as riquezas do Brasil”.

As declarações constam na decisão do juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora (MG), que julgou Adélio inimputável por sofrer de Transtorno Delirante Persistente.

Com informações do Estadão

Compartilhe agora!